Dia das Mulheres 2020: 6 Livros sobre o Empoderamento Feminino

 

A celebração do Dia das Mulheres tem um valor simbólico de luta e perseverança em busca da igualdade entre os gêneros. Todos os anos, em 8 de março, somos lembrados não apenas das grandes vitórias obtidas por elas, mas também de que ainda há muito a ser conquistado.

Pensando nisso, deixamos de lado as sugestões clichês de presentinhos para as mulheres e selecionamos abaixo os maiores clássicos da literatura do empoderamento feminino. Confira.

1 - Sejamos todos feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

Com um discurso poderoso e conciso, a escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie apresenta ao mundo uma definição moderna do feminismo, explorando as diversas cores do que é ser mulher na atualidade, bem como o porquê de o feminismo ser uma ferramenta máster para a libertação tantos das mulheres quanto dos homens.

2 - Eu sou Malala - Malala Yousafzai

Narrando sua história de vida, Malala Yousafzai discorre nesta obra sobre a trajetória de sua família após o exílio de seu país; sua luta em busca do direito à educação da mulher e os inúmeros desafios que a valorização feminina enfrenta numa sociedade projetada para privilegiar os filhos homens.

3 - O segundo sexo - Simone de Beauvoir

Clássico absoluto da literatura feminista, esta obra de Simone de Beauvoir foi objeto de escândalo e indignação em sua estreia, no final da década de 1940. Trazendo uma perspectiva única do “papel” da mulher dentro de diversas sociedades, Simone busca compreender o que criou (e manteve) essa configuração desigual, tentando com isso romper com esse padrão e alcançar maior igualdade para as mulheres.

4 - Os homens explicam tudo para mim - Rebecca Solnit  

Este livro da jornalista Rebecca Solnit expõe uma reflexão recheada de dados e estatísticas sobre a realidade da mulher no mundo moderno, trazendo assuntos essenciais ao tema, como violência sexual, apagamento de identidade e privação de direitos. Apesar da densidade do tópico, esta é uma leitura leve e agradável, com o inegável senso de humor da escritora.

5 - Objeto Sexual: Memórias de uma Feminista - Jessica Valenti

A autobiografia da jornalista Jessica Valenti apresenta um relato direto e honesto sobre os vários assédios que sofreu ao longo da vida, seus temores em relação a sua filha ter de aguentar os mesmos abusos que ela, e a frustração de notar que seu corpo tem muito mais valor que suas ideias. Com uma escrita crua e sem filtros, Valenti fala abertamente sobre os diversos campos de sua vida, deixando ao leitor interessantes reflexões e questionamentos.

6 – Fome - Roxane Gay

“Fome” é a autobiografia de Roxane Gay, uma mulher obesa que, vítima de um estupro coletivo aos 12 anos, iniciou uma longa jornada de compulsão alimentar para tentar lidar com o trauma. Em sua obra, a escritora fala sobre todos os desafios de ser mulher e viver numa sociedade em que todos se acham no direito de opinar sobre seu corpo.